Agenda Econômica

Bolsonaro pede e auxílio emergencial de R$ 250 entra nas negociações com a equipe econômica

2.51KVisualizações

Com o governo pressionado pelo Congresso para renovar o auxílio, o presidente Jair Bolsonaro pediu para que a econômica considere a ideia de um auxílio emergencial de R$ 250.

Bolsonaro vinha dando respaldo à resistência da Economia em renovar o auxílio, mas diante do quadro político, o presidente sugeriu que se passe uma visão de continuidade na aterrisagem do benefício (que começou com R$ 600, depois foi a R$ 300) até que ele chegue e se restrinja ao universo do Bolsa Família, hoje com benefício médio de R$ 191, mas que está previsto subir para R$ 202 neste ano.

Diante da dinâmica política e com a alta de mortes e casos, a equipe econômica, mesmo com grande parte dos técnicos contrária, já se conformava com a renovação do benefício com valor de R$ 200 e para cerca de 30 milhões de pessoas, aproveitando para tentar obter do Congresso as contrapartidas fiscais da PEC da Emergência Fiscal.

Os trabalhos estavam indo nessa direção, mas o recado de Bolsonaro modificou um pouco jogo, embora uma alta fonte destaque que não está batido o martelo ainda no valor final porque as negociações continuam.

A parcela dos técnicos do bloco P da Esplanada dos Ministérios que ainda é contra a ideia de renovação do auxílio em qualquer valor avalia que o país está com muito pouco espaço fiscal. Entende ainda que não há mais distanciamento social que o justifique, sendo melhor atacar problemas remanescentes com programas específicos de baixo custo fiscal.

Fonte: valorinveste.globo