Auxílio Emergencial

Auxílio emergencial: Caixa paga hoje (06) primeira parcela; veja o calendário completo

747Visualizações

A Caixa Econômica Federal vai iniciar hoje (06) os pagamentos do auxílio emergencial 2021 para os nascidos em janeiro. O benefício, que teve início em 2020 com o agravamento da pandemia, é esperado por mais de 40 milhões de trabalhadores informais.

Nesta primeira semana, a Caixa também depositará a primeira parcela do Auxílio Emergencial no novo ciclo na sexta-feira (09) para os nascidos em fevereiro. O calendário de crédito em conta digital segue até o dia 22 de agosto (veja mais abaixo).

Os pagamentos vão ocorrer de acordo com o mês de nascimento do beneficiário, em quatro ciclos de crédito em conta e saque em dinheiro.

Segundo o governo federal, o benefício médio será de R$ 250 com duas exceções: mulheres chefes de família receberão o valor de R$ 375 e as famílias unipessoais receberão o valor de R$ 150.

Saques

A movimentação do valor do benefício pode ser realizada por meio digital com o uso do aplicativo Caixa Tem. As retiradas em dinheiro vivo só serão permitidas a partir de 4 de maio para o depósito do Ciclo 1 dos nascidos em janeiro.

Quem receberá?

Apenas os brasileiros já cadastrados no programa, que receberam o benefício em 2020, poderão ser aprovados para a nova rodada. A análise foi feita pelo Dataprev e você pode conferir se foi aprovado no site do Ministério da Cidadania, da Caixa ou ligar no telefone 111.

Veja abaixo o calendário de pagamentos:

Veja as datas de pagamentos do Auxílio Emergencial 2021

Confira o calendário de saques:

Veja as datas de saque do Auxílio Emergencial 2021

Quem tem direito ao novo auxílio emergencial?

Pelas novas regras, somente famílias com uma renda total de até três salários mínimos por mês (R$ 3.135) podem receber o auxílio emergencial, sendo que a renda per capita precisa ser inferior a um salário mínimo. Beneficiários do Bolsa Família recebem o benefício com o valor mais alto.

Vale lembrar que cidadãos que recebam benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista ou de programa de transferência de renda federal, não fazem parte do público que receberá as parcelas. Para fins de elegibilidade, são avaliados os critérios com base no mês de dezembro de 2020.

 

Fonte: IstoÉ Dinheiro