DestaqueEsportes

Goleiro do Afogados leiloa camisa de Victor para ajudar famílias carentes e é recompensado pelo ídolo do Atlético-MG

101Visualizações

O dia 26 de fevereiro ficou na história do Afogados, modesto time do interior pernambucano, que eliminou o Atlético-MG da Copa do Brasil, nos pênaltis (relembre abaixo). O herói daquela classificação foi o goleiro Wallef, que, para completar o dia mais marcante da carreira, voltou para casa com um presente de uma das suas referências na posição: Victor, histórico goleiro do Galo, que ficou no banco de reservas naquele confronto

– No intervalo do jogo, os reservas do Atlético começaram a aquecer, a bater bola. Eu chamei o Victor. Ele na maior humildade me atendeu. Eu falei: “Pô, Victor, sou bastante seu fã. Tem como você me dar a camisa no final do jogo?”. Ele falou: “Vamos trocar?”. Aí eu falei: “Pô, Victor, você sabe que clube de menor expressão é difícil. Só tem essa camisa”. E realmente o clube só tinha aquela camisa que eu estava jogando, não tinha nenhuma outra. Falei com ele, ele me atendeu: “No final do jogo você pega comigo”. Eu fiquei muito feliz né, cara? Ele me atendeu super bem, na maior humildade do mundo – contou Wallef à Globo.

Wallef com a camisa que ganhou de Victor — Foto: Instagram / Reprodução
Wallef com a camisa que ganhou de Victor — Foto: Instagram / Reprodução

A camisa foi guardada por Wallef, que planejava fazer um quadro para pendurar na parede de casa. Com a paralisação do futebol nacional em função do novo coronavírus, o goleiro de 24 anos voltou para sua cidade, São José do Calçado, no interior do Espírito Santo. E por lá viu uma realidade que o motivou a tomar uma decisão difícil: se desfazer da camisa. Wallef resolveu leiloar o presente do ídolo atleticano em troca de cestas básicas para as famílias carentes que sofrem com a pandemia.

– Realmente eu tive que abrir mão. Era um sonho que eu sempre tive, pegar essa camisa do Victor. Agora estou abrindo mão. Não foi fácil, mas, no momento que estamos vivendo, diante dessa pandemia, muitas pessoas desempregadas, muitas famílias carentes na minha cidade… A realidade é essa. É uma cidade pequena (12 mil habitantes). O comércio não está funcionando totalmente. Consequentemente, a taxa de desemprego cresce. Tive a ideia de abrir mão da camisa do Victor e leiloar – explicou.

“Minha ideia é diretamente em cima de cestas básicas. Eu não quero dinheiro. Meu intuito é arrecadar o máximo possível de cestas básicas, para que eu possa ajudar o máximo possível de pessoas. Uma cesta para cada família (seria o ideal). Creio que neste momento difícil vai ser muito bem-vinda” – Wallef.

Wallef durante Afogados x Atlético-MG — Foto: Reprodução
Wallef durante Afogados x Atlético-MG — Foto: Reprodução

O goleiro foi às redes sociais promover o leilão e falou à Globo sobre a dificuldade de abrir mão do presente.

– Eu falo de coração que foi difícil abrir mão da camisa do Victor. Pra muitos pode ser apenas uma camisa, mas pra mim tinha um valor sentimental muito grande. É um ídolo que eu sempre observei, que eu sempre vi jogar. Cresci vendo o Victor jogar. Tive que abrir mão para ajudar outras pessoas.

“Eu já estava programando fazer um quadro, deixar a camisa no quarto. É uma lembrança íntima. A gente fica feliz. É muito gratificante ter recebido esse presente dele. E agora foi muito difícil abrir mão da blusa pra esse meio social. (…) Foi difícil dispensar ela, mas creio que vai ajudar bastante gente neste momento. Muitas pessoas ficam só na palavra, falando em ajudar, mas a gente tem que ajudar com atitude” – Wallef.

Victor é um dos maiores ídolos da história do Atlético — Foto: Douglas Magno/BP Filmes
Victor é um dos maiores ídolos da história do Atlético — Foto: Douglas Magno/BP Filmes

“Eu não gostaria que você se desfizesse da camisa”

A Globo entrevistou Wallef com exclusividade sobre a iniciativa e, depois, resolveu repassá-la a Victor, que mandou um recado. Mas não só isso.

O goleiro atleticano gravou um vídeo para o colega de posição (veja abaixo), ligou para ele e disse que não gostaria que ele se desfizesse da camisa que foi entregue em Afogados. Para isso – e para que Wallef pudesse concluir a ação solidária -, Victor enviou outra camisa (essa autografada) para o amigo capixaba. Além disso, também ajudou na campanha, doando dezenas de cestas básicas.

View this post on Instagram

@wallefmendes95 @victor1oficial

A post shared by Expresso do Sertão (@expressodosertao.com.br) on

Victor participa de ação solidária de Wallef, goleiro do Afogados

– Fala, meu amigo Wallef! Tudo bem? Tenho acompanhado, recebido algumas notícias de uma ação que você vem fazendo. Isso demonstra sua grandeza, o tamanho do seu coração. Uma atitude excepcional. Mas eu estou aqui por uma boa causa. Aliás, por uma não, por duas boas causas. Eu não gostaria que você se desfizesse dessa camisa que a gente trocou lá no jogo da Copa do Brasil. Acho que é justo você guardar como recordação, haja vista que é algo que você queria muito ter guardado. Então, eu vim propor duas coisas – disse Victor, que completou.

– A primeira: eu vou te ajudar nessa causa. Vou colaborar com algumas cestas básicas, que é o que você está buscando para a sua comunidade. Segundo: eu não quero que você se desfaça da sua camisa. Então, sugiro que você fique com a camisa, e eu te mando mais uma minha, autografada. Combinado? Pode ser assim? Assim você pode concluir a sua ação, com essa camisa autografada que estou te mandando, e pode colocar a sua no quadro, como você queria. Parabéns pela atitude, pelo gesto, e que Deus te abençoe sempre. Grande abraço!

A camisa autografada por Victor foi enviada para o interior capixaba e, de lá, será entregue ao vencedor do leilão – que arrematou o objeto, na noite dessa segunda-feira, por 25 cestas básicas. A camisa do jogo vai, enfim, parar na parede do quarto do goleiro do Afogados. O valor doado por Victor para reforçar a compra de cestas já está na conta de Wallef. As famílias mais carentes de São José do Calçado terão uma ajuda importante. E dois goleiros, em tempo de futebol parado, fizeram, juntos, um golaço.

“O Victor é um ser humano excepcional, um cara humilde. Merece demais tudo que aconteceu na vida dele. Agradeço muito a ele pelo que ele fez pela minha cidade. Foi surreal quando ele me ligou. Não esperava e fiquei muito feliz” – Wallef.

 

 

Fonte: Globo Esporte

 

Deixe uma resposta