Pernambuco

Isolamento social cai no primeiro domingo da quarentena em Pernambuco e está longe da meta

271Visualizações

Apesar da quarentena rígida, com restrição de todos os serviços não essenciais, Pernambuco registrou queda na taxa de isolamento social no primeiro domingo (21) da medida. O índice ficou em 49,7% – menor que o dos dois domingos anteriores.

Em 14 de março, a taxa foi de 50,89%. Sete dias antes, no dia 7 de março, foi de 50,43%. O índice de domingo foi maior que o do dia 28 de fevereiro, quando foi contabilizado um isolamento de 46,88%.

No dia do anúncio da quarentena, na segunda-feira (15), o secretário estadual de Saúde, André Longo, informou que a meta da quarentena é de isolamento social de pelo menos 60% da população. Os números, portanto, ainda estão pelo menos 10 pontos percentuais longe do objetivo do governo.

“Precisamos urgentemente diminuir a curva de aceleração epidêmica e isso só será possível com um alto grau de isolamento social nos próximos dias, com uma mudança de comportamento de todos os pernambucanos e pernambucanos”, disse, no dia, André Longo.

No sábado (20), o primeiro sábado da quarentena, o índice foi de 44,39%, ligeiramente maior do que o dos sábados anteriores. Em 13 de março, foi registrado isolamento de 43,11% e em 6 de março, 43,27%.

Isolamento social em Pernambuco aos finais de semana em 2021

No domingo (21), apenas a cidade de Mirandiba, no Sertão, ficou na meta, com exatos 60%. Na sequência, Sertânia (54,5%), Triunfo (54,3%), Sairé (54,1%) e Tuparetama (54,1%). À exceção de Sairé, localizada no Agreste, as demais cidades ficam no Sertão.

A cidade da Região Metropolitana do Recife com maior isolamento no domingo foi Olinda, com 53,0%. Paulista e a capital ficaram com 51,7%. Camaragibe e São Lourenço registraram 50,9% e 50,2% respectivamente. E Jaboatão dos Guararapes teve 49,5% de isolamento.

Petrolina, no Sertão, registrou 49,9%. Caruaru, no Agreste, 46,7%. Não houve registro de dados em 32 municípios.

Os menores índices de isolamento foram de Fernando de Noronha – que não segue a quarentena rígida dos demais municípios – com 16,0%. Entre as cidades com as medidas mais restritivas, Quipapá, na Mata Sul, com 20% e Inajá, no Agreste, com 23,8%, tiveram as menores taxas de isolamento.

A menor taxa da série histórica foi registrado em 26 de fevereiro, com 31,1%. O maior índice registrado em Pernambuco nesses doze meses da pandemia ocorreu em 22 de março, na primeira semana após a confirmação dos primeiros casos de coronavírus no Estado. Naquele dia, 62,2% dos pernambucanos não saíram de casa segundo o Inloco.

Os dados são disponibilizados pelo Instituto Inloco e obtidos a partir do sistema de georreferenciamento dos celulares. Os números dos municípios pernambucanos são tabulados pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

“Chegamos a patamares superiores a 50% em alguns momentos no ano passado. Esse percentual não diz tudo, porque se as pessoas saírem de casa e tiverem um comportamento adequado, muito provavelmente estará contribuindo para ser agente de proteção também”, completou André Longo, no dia do anúncio da quarentena.

 

Fonte: Folha PE