Pernambuco

Profissionais da rede pública de educação de Pernambuco terão notebooks e plano de conectividade

491Visualizações

Durante solenidade on-line, nesta quarta-feira (19), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, lançou mais uma edição do programa Professor Conectado, que vai disponibilizar 21 mil computadores para professores efetivos, analistas e assistentes em gestão educacional, além de conceder um pacote de conectividade, com valor mensal de R$ 50, para cada profissional. O programa conta com um investimento de R$ 115 milhões.

“O Professor Conectado busca dar condição aos profissionais da educação de terem instrumentos para utilizar na preparação e, agora, na transmissão de aulas. Todo o investimento está dentro daquilo que a gente acredita: a educação pública de qualidade como um grande valor no Estado de Pernambuco”, afirmou Paulo Câmara.

De acordo com o secretário estadual de Educação e Esportes, Marcelo Barros, a partir do dia 15 de junho, estará disponível um cadastro para que os profissionais da educação possam solicitar a aquisição desses notebooks. “Os profissionais irão escolher o modelo que irão adquirir. A gente espera que, a partir de julho, os notebooks comecem a ser entregues nas residências dos profissionais da educação”, ressaltou Barros.

O programa estará detalhado no Projeto de Lei de Inclusão Digital, que será encaminhado pelo governador à Assembleia Legislativa de Pernambuco para votação. “Daremos a celeridade necessária para que o projeto possa ser aprovado. O programa é muito importante, principalmente neste momento de dificuldade de distanciamento, em virtude da pandemia”, enfatizou o presidente da Assembleia, deputado Eriberto Medeiros.

Os notebooks precisam, obrigatoriamente, possuir uma configuração mínima definida pela Secretaria de Educação e Esportes, e serão cedidos por um período de três anos, a contar da adesão ao programa. Nesse período, o servidor precisará participar de capacitações e projetos, que serão detalhados no Projeto de Lei enviado à Assembleia. 

Além disso, durante esses 36 meses fica proibida a venda ou cessão do equipamento e, caso o servidor perca o vínculo com a Secretaria de Educação, terá que fazer a devolução dos recursos. Folha PE