Com o fim do Auxílio Emergencial se aproximando o governo está preparando um novo programa assistencial que será mais amplo e irá beneficiar parte dos beneficiários do Auxílio Emergencial.

O  Renda Brasil deve começar a funcionar a partir de novembro e pagará um valor entre R$ 250 à R$ 300, o programa pretende unificar diversos programas sociais em um único, onde será unificado o Bolsa Família e o Auxílio Emergencial por exemplo.

O ministro da Economia Paulo Guedes soube recentemente que o governo forneceu 50 bilhões de reais para o programa e agora investirá mais, no entanto, para financiar o novo plano, novos impostos podem ser criados, assim como Guedes está financiando a nova decisão da CPMF para o projeto.
 Renda Brasil deve incluir 50 milhões de brasileiros, e essa “carteira de investimentos únicos” deve pagar cerca de 300 reais a grupos que ainda podem trabalhar no mercado de trabalho e continuar gerando renda, a operação do plano deve ser semelhante ao plano de subsídio familiar e levará ao fim de outros programas sociais, como salários e subsídios familiares.
A idéia do governo do presidente Jair Bolsonaro é incluir alguns beneficiários de ajuda de emergência, além de expandir o pagamento de subsídios familiares.
De acordo com as informações fornecidas pelo ministro Paulo Guedes, deve ser aumentado de 50 reais para 100 reais.
Atualmente, o valor médio pago pelo Bolsa Família é de 200 reais. A nova base Renda Brasil deve ter pelo menos 10 milhões de novos beneficiários.
Unificação de planos sociais A iniciativa do governo é unificar vários programas sociais em um. Além de criar um novo programa permanente de renda mínima, isso o tornará mais abrangente do que o programa de subsídios familiares.
Veja quais benefícios a Renda Brasil pode unificar
  • Abono salarial;
  • Auxílio Emergencial;
  • Bolsa Família;
  • Seguro-defeso (pago a pescadores artesanais no período de reprodução dos peixes, quando a pesca é proibida);
  • Farmácia Popular;

 

 

Fonte: opetroleo